Henrique Antônio Stedile agraciado com Medalha Assis Brasil

Henrique Antônio Stedile foi agraciado com Medalha Assis Brasil nesta Sexta-feira durante a Tarde de Campo da HS Sementes em Coxilha RS.

 

O produtor Henrique Antônio Stedile foi homenageado com a “Medalha Assis Brasil” nesta Sexta Feira. A cerimônia, que foi realizada na Fazenda Sando Isidoro em Coxilha, durante a realização da Tarde de Campo do Trigo, evento tradicional que acontece nesta época a quinze anos.

A solenidade foi presidida pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Claudio Fioreze. A medalha é concedida a pessoas que se destacaram por serviços de excepcional mérito na área da agricultura e da pecuária.

Stedile foi pioneiro da irrigação no Rio Grande do Sul com a instalação de pivots no ano de 1985. Iniciou na atividade agropecuária em 1959, com a aquisição da fazenda Santo Isidoro, localizada, na época, no distrito de Coxilha, município de Passo Fundo, atualmente emancipado.

Primeiramente, realizou o cultivo de trigo e soja, sendo as atividades da pecuária, gado de corte, ovinos e gado de leite, desenvolvidas somente para consumo da fazenda. Em 1967, iniciou a produção de sementes, sendo um dos precursores nessa atividade. Foi o primeiro presidente da Apassul (Associação dos Produtores de Sementes do Rio Grande do Sul), tendo presidido a entidade por três mandatos – possui a carta associativa nº 001 de 19/12/1968.

A medalha Assis Brasil, maior honraria do agronegócio gaúcho, é concedida para cidadãos que se destacaram por serviços de excepcional mérito na área da agricultura e da pecuária – Foto: Arnaldinho Souza.

O produtor Henrique Antônio Stedile foi homenageado com a “Medalha Assis Brasil” na sexta-feira (10). A cerimônia aconteceu em sua propriedade, que fica no município de Coxilha, durante as atividades do dia de campo. A solenidade foi coordenada pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Claudio Fioreze.

 

A medalha, maior honraria do agronegócio gaúcho, é concedida para cidadãos que se destacaram por serviços de excepcional mérito na área da agricultura e da pecuária. Stedile foi pioneiro da irrigação no Rio Grande do Sul com a instalação de pivots no ano de 1985. Iniciou na atividade agropecuária em 1959, com a aquisição da fazenda Santo Isidoro, localizada, na época, no distrito de Coxilha, município de Passo Fundo, atualmente emancipado.

Ao entregar a medalha, Claudio Fioreze, destacou os avanços na área de irrigação proporcionados pelo Mais Água, Mais Renda, programa instituído pela  Lei 14.244/2013 e considerado modelo de política pública para o restante do País. Desde a implantação do programa, o Rio Grande do Sul ampliou sua área irrigada, em culturas de sequeiro como soja, milho, fumo, feijão, hortícolas e pastagens, em 176 mil hectares. “Do primeiro pivot, com o senhor Stedile, até a implantação do Mais Água, Mais Renda, foi atingido o patamar de 105 mil hectares irrigados. Hoje, com auxílio do programa, que facilita o licenciamento, a outorga e a subvenção, essa área mais que dobrou e chegou em 276 mil hectares”, ressaltou Fioreze.

Fioreze testemunhou ainda outras inovações tecnológicas que são empregadas na propriedade de Stedile, reforçando o mérito e o pioneirismo do produtor. “O senhor Stedile é um cidadão que enxerga o futuro para construir o presente. A implantação de um sistema de irrigação na década de 1980 é uma prova disso. Aqui, em sua propriedade, outros aspectos inovadores merecem também ser destacados como: a produção leiteira, baseada em um modelo sustentável, o tratamento da água e dos dejetos dos animais, utilização de energia solar e rotação de culturas, por exemplo. É por ter esse perfil inovador que realizamos esta justa homenagem”, enfatizou Fioreze.    

 

Mais Água, Mais Renda

O Mais Água, Mais Renda, Programa Estadual de Expansão da Agropecuária Irrigada, foi criado com a finalidade de incentivar e facilitar a expansão da irrigação, viabilizando esta prática entre os agropecuaristas gaúchos. Aumentar a produtividade, a qualidade e a renda no campo são metas do programa, que foi instituído pela Lei 14.244/2013 e serve de modelo para o restante do País. Um dos diferenciais do Mais Água, Mais Renda  foi o instrumento de subvenção de irrigação, em que o Governo Estadual reembolsa parte do investimento privado aos produtores, com índices de 12% a 30%.

Agilidade no licenciamento ambiental e outorga prévia do uso da água para açudes de até 10 ha e áreas irrigadas de até 100 há; e o incentivo financeiro para a implantação ou ampliação do uso de sistemas de irrigação são os principais benefícios o programa.

Em toda a história da agricultura gaúcha, o estado tinha 105 mil hectares de culturas de sequeiro irrigados. Até o primeiro semestre de 2014, esse número atingiu 276 mil hectares, superando todas as expectativas.